• HENRY FORD
  • CARNEGIE
  • J.P.MORGAN
  • Rockefeller
  • Vanderbilt

Henry Ford construiu seu primeiro automóvel no quintal de sua casa. Em 1903, fundou a Ford Motor Company e, cinco anos depois, a companhia lançava seu primeiro carro: o modelo T. O empresário inovou também no processo de produção, construindo grandes fábricas e iniciando a primeira linha de montagem do mundo. Além de ter conquistado um enorme respeito na área industrial, Ford também foi muito influente no cenário político, tanto nos Estados Unidos como no resto do mundo.

Andrew Carnegie foi um industrial norte-americano nascido na Escócia. Trabalhou desde menino e investiu seu dinheiro em ferro e petróleo, tornando-se muito rico já aos 30 anos de idade. No começo de 1870, criou seu império na indústria de aço. Em 1901, vendeu sua empresa ao banqueiro J.P. Morgan por US$ 480 milhões e passou a dedicar seu tempo à filantropia, doando mais de US$ 350 milhões a diversas instituições.

John Pierpont Morgan foi um dos maiores banqueiros de sua época e não apenas investiu em ferrovias, aço e eletricidade, como ajudou a criar grandes empresas, como a General Eletric. Sucessor do pai no mundo das finanças, J.P associou-se a outro banqueiro em 1871 e, em 1895, a empresa tornou-se base da atual J.P.Morgan Chase. O empresário ajudou a estabilizar o mercado financeiro norte-americano em diversas ocasiões, como na crise de 1907, mas foi muito criticado por sua grande influência política.

John D. Rockefeller foi um dos homens mais ricos do mundo e um grande filantropo. Nascido em uma família simples de Nova York, entrou para o mundo do petróleo em 1863, e, em 1870, fundou a Stand Oil Company, que chegou a controlar 90% das refinarias dos EUA. Acusado de falta de ética e monopólio industrial, teve sua companhia dissolvida em 1911. Entretanto, ao longo de sua vida, Rockefeller doou mais de US$ 500 milhões a diferentes causas sociais.

Foi um dos homens mais ricos do século XIX. Quando menino, trabalhava com o pai na balsa entre Staten Island e Manhattan e, em 1820, decidiu ingressar no ramo de estaleiros. O “Comodoro”, como era conhecido por sua extrema competitividade e dureza, deixou seu nome marcado na indústria ferroviária a partir de 1860 e contribuiu não somente para sua fortuna pessoal como também tornou o transporte muito mais eficiente. Ao morrer, a fortuna de Vanderbilt era superior aos US$ 100 milhões.

 
 
  • #02 - ENCONTRANDO PETRÓLEO
  • #03 - NASCE A RIVALIDADE
  • #04 - DERRAMAMENTO DE SANGUE
  • #05 - SURGE UM NOVO RIVAL
  • #06 - TOMANDO POSSE DE TUDO
  • #07 - TOMANDO A CASA BRANCA
  • #08 - A NOVA MÁQUINA
Episódio: #02 ENCONTRANDO PETRÓLEO

Enquanto as luzes de querosene iluminam as noites no país, a demanda por petróleo alcança o seu pico mais alto e Vanderbilt entra em contato com John Rockefeller, um jovem petroleiro empreendedor de Ohio, para desenvolver um combustível bom para seus trens.

Episódio: #03 NASCE A RIVALIDADE

Andrew Carnegie emigra da Escócia para os Estados Unidos e começa a trabalhar muito jovem ainda. Ele então conhece Tom Scott, que lhe ensinaria tudo sobre o negócio de estradas de ferro. Aos 30 anos, dono de uma empresa própria, é contratado por Scott para construir uma ponte sobre o rio Mississippi, parte do projeto para ligar o leste e oeste do país. Carnegie aceita, mas tem dúvidas de que os materiais disponíveis sejam fortes o suficiente para o projeto. A solução vem com o aço, mas antes que Carnegie consiga atingir o potencial deste material de construção, Scott morre. Humilhado por seu fracasso diante do oleoduto que John Rockefeller está construindo, Carnegie promete vingar-se de Rockefeller.

Episódio: #04 DERRAMAMENTO DE SANGUE

Carnegie contrata Henry Frick, um personagem de moralidade duvidosa, para ajudá-lo a superar Rockefeller, e assim realizar sua vingança. A sociedade é promissora, mas Carnegie não sabe que Frick está muito longe de ter a capacidade para levar a obra adiante. Frick corta orçamentos e rapidamente os dois acabam sendo responsáveis pelo maior desastre provocado pelo homem já visto no país. A inundação que atinge Johnstown tira mais de 2.000 vidas. Carnegie odeia ser impopular e seu ímpeto inicial de se vingar de Rockefeller, diminui rapidamente.

Episódio: #05 SURGE UM NOVO RIVAL

Enquanto Carnegie e Rockefeller continuam sua batalha, JP Morgan aparece e monta um banco na cidade de Nova York com um único propósito: promover o avanço tecnológico dos Estados Unidos. Morgan investe pela primeira vez, apoiando uma nova invenção de Thomas Edison: a luz elétrica.

Episódio: #06 TOMANDO POSSE DE TUDO

Com uma contribuição em dinheiro de Morgan, é criada a Edison Electric Company, que começa a levar energia elétrica às casas de Nova York. Mas Nikola Tesla aparece, com uma tecnologia diferente, e nasce uma grande rivalidade. Eventualmente a tecnologia de Tesla prevalece, com sua teoria da corrente alternada (AC), que se tornou padrão. Morgan despede Edison e muda o nome da empresa, transformando-a na "General Electric", que continua sendo uma das maiores empresas do mundo. Edison promete que nunca mais vai trabalhar com eletricidade e começa sua incursão com filmadoras

Episódio: #07 TOMANDO A CASA BRANCA

Vanderbilt, Rockefeller, Carnegie e Morgan trabalharam livremente durante décadas, mas os políticos americanos estavam a ponto de intervir. Eles achavam que esses homens deveriam estar sob o controle do governo. Os empresários, alguns deles inimigos entre si, se unem então para elaborar um plano e comprar as "decisões" da Casa Branca, doando, o que seria em dinheiro de hoje, cerca de 30 milhões de dólares para o governador de Ohio, William McKinley. McKinley retribui revogando regulamento após regulamento para lhes permitir a liberdade de fazer coisas inimagináveis, sem consequências ou impedimentos. Morgan e Carnegie criam a empresa de aço U.S. Steel, a primeira companhia de um bilhão de dólares, enquanto Rockefeller toma o controle de 90% do petróleo da América do Norte.

Episódio: #08 A NOVA MÁQUINA

Um jovem engenheiro chamado Henry Ford está trabalhando em uma invenção, um carro movido à gasolina a preços acessíveis para a classe média. Ele consegue um patrocínio e desenvolve uma novidade: a linha de montagem. McKinley é assassinado e seu vice-presidente, Theodore Roosevelt, assume o comando do país. Começa a surgir um novo conjunto de regras que aumentam a vigilância sobre os negócios. Rockefeller é levado a julgamento por crimes contra a Receita Federal, causando a falência de sua empresa, a Standard Oil, sendo o primeiro monopólio a quebrar nas mãos do governo. JP Morgan ajuda a estabelecer a Reserva Federal e torna-se o pai do capitalismo moderno. Carnegie, ainda marcado pela culpa pelo desastre de Johnstown, doa grande parte de sua fortuna. Este antecedente de caridade, seria imitado no futuro por empresários bem sucedidos como Bill Gates. A série termina com a partida do exército americano para uma guerra na Europa, tornando-se claro que, embora os Gigantes da Indústria não tenham descoberto o país, eles o construíram.

 
 

A América não foi descoberta, foi construída. Os nomes Rockefeller, Vanderbilt, Carnegie, Astor, Ford e Morgan são sinônimos do chamado "sonho americano". Eles desenvolveram uma visão ousada e criaram grandes indústrias que foram base para o progresso no mundo. São indústrias de combustível, estradas de ferro, aço, transportes, automóvel e finanças. Eles estabeleceram políticas econômicas, se envolveram em eleições presidenciais, e sua influência sobre os acontecimentos mais importantes do século passado é incalculável.

 
 

Gigantes da Indústria
5000 A.C - 1000 A.C
999 A.C - 500 D.C
501 D.C - 1450 D.C
1451 D.C - 1780 D.C
1781 D.C - 1900 D.C
1901 D.C - 1950 D.C
1951 D.C - Atualidade