Todos os horários
déjà vu

Conheça a história do jovem britânico que está "preso" no tempo há oito anos

Quem assistiu ao filme "Feitiço do Tempo” sabe exatamente o que acontece com o personagem de Bill Murray: ele acorda todos os dias como se fosse o mesmo dia. Esta circunstância não parece estar restrita à ficção e, por motivos médicos, é possível, sim, que uma pessoa fique "presa" em uma espécie de confusão temporal, confinada por anos em um estranho fenômeno que chamamos de déjá vu.

Esse é o caso de um jovem britânico de 23 anos, que atravessava um déjà vu persistente desde 2007. O artigo publicado pelo Journal of Medical Case Reports relata que tudo começou com um quadro de TOC, que o fazia lavar as mãos com muita frequência, assim que entrou na universidade. Ao deixá-la, começaram os déjà vu, cada vez mais frequentes e prolongados. O problema piorou quando ele decidiu tomar um LSD: os episódios se tornaram totalmente recorrentes. Em 2008, ele foi a um neurologista, porém tanto o eletroencefalograma quanto a ressonância magnética não mostraram nada de anormal. Mas os déjà vu eram tão persistentes que ele deixou de ver TV, escutar rádio e ler os jornais, já que sentia uma sensação aterrorizante de já ter visto, escutado e lido tudo aquilo antes. 

Não é o primeiro caso de déjà vu crônico, embora todos aqueles registrados anteriormente estivessem vinculados a pessoas com diagnóstico de demência, incapazes de diferenciar a realidade de seus processos mentais. O jovem inglês, no entanto, é totalmente consciente de sua anomalia. Os médicos que estudam o caso dizem que isso pode se dar devido a uma doença psicogênica, ou seja, que seu cérebro funciona de maneira atípica sem nenhuma explicação física.

Fonte: La Vanguardia 

 

Imagem: I, Booksworm [GFDL, CC-BY-SA-3.0 or CC BY 2.5], via Wikimedia Commons